Ícone do site amúsica

A Prestigiada Carreira Internacional de Astrud Gilberto

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Por Wesley Dias

Peça importantíssima da nossa cultura, Astrud Gilberto foi uma das artistas brasileiras mais bem sucedidas da história no mercado internacional. Detentora de uma voz extremamente suave e melodiosa, a cantora conquistou o mundo a partir da sua interpretação da música “The Girl From Ipanema” em 1964. Com esse trabalho leva o Grammy Awards de “Gravação do Ano” e também é indicada nas categorias de “Melhor Performance de Vocal Feminino” e “Artista Revelação”. Deste modo começava a sua trajetória gloriosa que culminaria num maior reconhecimento no exterior do que no seu país natal.  

Primeiro trabalho solo entra nas paradas da Billboard 

Em 1965, Astrud lança o seu primeiro trabalho próprio em solo norte americano. Ainda trabalhando fortemente o ritmo da Bossa Nova, o álbum é abastecido com composições de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Jobim também foi o responsável pela execução dos arranjos das músicas e participou da faixa “Água de Beber”, uma das poucas em português presentes nessa obra.  

O álbum entrou na tradicional lista da “Billboard 200” que classifica as produções musicais mais populares do mundo. Ocupando a 41° colocação, o disco permaneceu 8 semanas dentro da categoria. Uma classificação muito notável se tratando de uma artista brasileira em solo estrangeiro.  

Mais entradas na Billboard e reconhecimentos pela sua notoriedade 

No Grammy a cantora frequentou pelo segundo ano consecutivo a categoria de “Melhor Performance de Vocal Feminino”. Assim como no ano anterior não conquistou o prêmio. Mas impressionava a sua notabilidade em estar sempre cotada nas premiações, mesmo com pouquíssimo tempo de carreira.  

Ainda no ano de 1965, Astrud protagoniza mais um trabalho que entra na “Billboard 200”. Lançado no dia 25 de dezembro o novo disco ocupou a 66° posição e permaneceu por 18 semanas na lista. Já em 1967 ingressa na 31° colocação da categoria “Pop adulto contemporâneo” com a canção “I Had The Craziest Dream” e ficou lá por 4 semanas.  

A qualidade do trabalho de Astrud fez com que ela obtivesse uma carreira bastante linear no exterior. Sempre com muita regularidade nos lançamentos e ampla qualidade de repertório. Mesmo passada a febre da Bossa Nova, a artista seguiu colhendo os frutos de uma trajetória bem estabelecida. Figura fixa no meio do jazz, teve o álbum “Astrud Gilberto’s Finest Hours” na 22° posição da categoria ”Traditional Jazz Albuns” em 2003. 

A sua distinta trajetória musical também foi coroada através de muitas premiações ao longo dos anos. No ano de 1992 recebe o “Latin Jazz USA Award” devido a sua contribuição para o Jazz latino, e em 2002 entra para o “International Latin Music Hall Of Fame”. Por fim, ganha em 2008 o Grammy pelo “conjunto das suas realizações” através da Academia Latina de Gravação.  

Sem entrevistas e reclusa da música 

Na contemporaneidade são escassas as informações sobre Astrud Gilberto. Pouco afeita a entrevistas, o que se sabe é que a cantora segue vivendo nos Estados Unidos. A última vez que gravou algo foi com George Michael na década de 90, sendo um dueto da música “Desafinado” de Tom Jobim e Newton Ferreira de Mendonça.  

Apesar de estar fora da cena musical, o legado de Astrud jamais poderá ser apagado. Naturalmente e de forma despretensiosa, uma artista brasileira conseguiu conquistar o mundo e se tornou um dos nomes mais importantes da história da música mundial.

Ouça The Astrud Gilberto Album

Sair da versão mobile